Convite


" A Igreja convida-nos a aprender de Maria (...) a contemplar o projecto de amor do pai pela humanidade, para amá-la como Ele a ama."



Mensagem Bento XVI, Dia Mundial das Missões 2010
















domingo, 17 de setembro de 2017

17 de Setembro de 2017 
17.º Aniversário de Ordenação Sacerdotal

Parabéns, caro Amigo Pe. Nuno, por estes 17 anos de sacerdócio e por tudo o que o Senhor tem feito em si e consigo a favor daqueles que lhe foram confiados ao longo destes anos. Continuação de vida feliz e realizada! Abraço amigo,

21 h · 


17 ANOS DE SACERDÓCIO A 17 DE SETEMBRO DE 2017 - OBRIGADO SENHOR
dou graças a Deus por neste dia 17 em que fui ordenado em Santa Eufémia e que já lá vão precisamente 17 anos.
Sou um homem, um missionário e um sacerdote feliz por ter Cristo como meta e tantos amigos e amigas como guias que me ajudam a caminhar para a meta.
OBRIGADO A TODOS!


quinta-feira, 31 de agosto de 2017

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Pe. Zezinho scj - Cantiga de sacerdote



Feliz e santo dia a todos os Sacerdotes!
Estamos unidos em oração pedindo que sejam dóceis à ação do Espírito Santo e se deixem acompanhar pela Mãe "Amei-a antes de a conhecer" Sto Cura d'Ars!
"Senhor dai-nos santos pastores, para que por eles e com eles o povo de Deus possa ser santo!"

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Por que comemoramos o Dia dos Avós em 26 de julho?

  Sempre Família | Jul 26, 2016


Tradição religiosa teria determinado a data em que celebramos os velhinhos mais queridos da família
No Brasil e em Portugal, o dia 26 de julho é lembrado como o Dia dos Avós. Você sabe por quê?
A mais popular das explicações vem do catolicismo. O Papa Paulo VI, que governou a Igreja Católica de 1963 até 1978, escolheu esta data para homenagear Santa Ana e São Joaquim, os pais da Virgem Maria, canonizados pelo papa Gregório VIII em 1584.
Os nomes de Ana e Joaquim não constam na bíblia, mas sim em um dos evangelhos apócrifos, ou seja, textos não aceitos como autênticos pelas primeiras comunidades cristãs, mas válidos enquanto documentos históricos.
De acordo com uma antiga tradição católica, Ana e Joaquim já estavam com idade avançada e ela ainda era estéril, o que a impedia de ter filhos. Apesar disso, eles não desistiam de pedir a Deus esta bênção e, por bastante tempo, rezaram por um milagre.
Certo dia, quando Joaquim havia se retirado para suas orações e penitências, um anjo veio lhe visitar avisando que era hora de voltar para casa, pois suas preces seriam atendidas. O milagre veio. Alguns meses depois, Ana deu à luz Maria.
Quando a menina estava grande, eles a entregaram ao Templo de Jerusalém e de lá Maria só saiu para se casar com José. Algum tempo mais tarde, ela viria a ser a mãe de Jesus, neto de Ana e de Joaquim.
Como a vida civil e o catolicismo foram bastante ligados em Portugal durante séculos, não demorou muito para que a data religiosa passasse a ser celebrada inclusive fora das igrejas, como em escolas e comunidades rurais.
Oração pelos avós
Ó Deus eterno e todo-poderoso,
em vós vivemos, nos movemos e somos.
Nós vos louvamos e bendizemos por terdes
dado a estes vossos filhos e filha,s
nossos queridos vovôs e nossas queridas vovós,
uma vida longa com perseverança na fé e em boas obras.
Concedei que eles, confortados pelo carinho
dos filhos, netos e amigos,
se alegrem na saúde e não se deixem abater na doença,
a fim de que, revigorados com a vossa bênção,
consagrem o tempo da idade madura ao vosso louvor,
seguindo o exemplo de São Joaquim e de Santa Ana,
que, na fidelidade à Palavra de Deus,
cumpriram sempre a vontade de servir e de amar a todos.
Por Cristo, nosso Senhor.
Amém.


quarta-feira, 19 de julho de 2017

Media: DOCAT apresenta décimo nono episódio

Media: DOCAT apresenta décimo nono episódio: A Paulus editora acaba de editar o décimo nono episódio da série DOCAT com a pergunta «O pecado também tem uma dimensão social?».
Ao longo de mais de um minuto o padre Tiago Neto, diretor do Setor da catequese do Patriarcado de Lisboa, responde à pergunta do DOCAT, o catecismo da Doutrina Social da Igreja para os mais jovens.
A série Minuto DOCAT é uma produção da Editora Paulus a que o Educris se associa. Um bom recurso para docentes de EMRC, alunos, catequistas e catequizandos bem como aos demais agentes de pastoral.

quinta-feira, 13 de julho de 2017

18 pessoas deixam o seu emprego e 10 pedem licença sem vencimento para partir em missão

Lisboa, 13 jul 2017 (Ecclesia) - A Fundação Fé e Cooperação (FEC), organismo da Igreja Católica em Portugal, anunciou hoje que 1403 pessoas vão dedicar-se a ações de voluntariado missionário em 2017.
“389 jovens e adultos realizam projetos de voluntariado missionário em países em vias de desenvolvimento e 1014 desenvolve atividades de voluntariado/missão em Portugal”, refere um comunicado da instituição, enviado hoje à Agência ECCLESIA.
Este é um número global mais alto do que em 2016, verificando-se um aumento no número de voluntários que parte para missões fora da Europa, segundo dados estatísticos da Rede de Voluntariado Missionário coordenada pela FEC – Fundação Fé e Cooperação.
O elenco inclui voluntários que abdicam dos seus empregos e salários para partir em missão
“Com idades compreendidas entre os 18 e os 50 anos, 18 pessoas deixam o seu emprego e 10 pedem uma licença sem vencimento para partir este ano para países em desenvolvimento”, assinala a nota de imprensa.
A este número somam-se 10 desempregados que vão dedicar-se a experiências de voluntariado missionário.
Os 389 voluntários portugueses que saem do país estão distribuídos por vários países: Cabo Verde vai acolher 89 voluntários; Moçambique, 76; São Tomé e Príncipe recebe 70; Guiné-Bissau, 65; Angola, 38; Brasil, 27; Timor-Leste, 9; Espanha, 5; Honduras, 4; a Zâmbia acolhe 2 voluntários; com destino à República Centro Africana partem dois voluntários; e para o Perú partem outros dois.
349 pessoas partem para projetos de curta duração, isto é, em missões que podem ir de 15 dias a 6 meses; 40 pessoas partem em projetos de longa duração (entre 7 meses a 2 ou mais anos).
“A maior parte dos voluntários que parte entre janeiro e dezembro de 2017 tem idades compreendidas entre 18 e 35 anos, sendo 87% estudantes, recém-licenciados ou pessoas empregadas que dedicam o seu tempo de férias para se integrar no desenvolvimento de projetos de voluntariado internacional”, assinala o comunicado.
No total, 70% são mulheres e 30% homens, precisa a FEC.
As principais áreas de intervenção das entidades são a agricultura, animação sociocultural, construção de infraestruturas, educação e formação, pastoral, saúde, dinamização comunitária, entre outras necessidades sentidas no decorrer dos projetos.
Este ano, 1014 jovens e adultos desenvolvem atividades de voluntariado missionário em Portugal, com “uma regularidade assegurada”.
A maior parte destes voluntários desenvolve atividades de animação sociocultural e de trabalho na área da educação e na área da pastoral.
A Fundação Fé e Cooperação dinamiza a Rede do Voluntariado Missionário desde 2002 e em cada ano recolhe e compila os dados de cada entidade associada.
Nas duas últimas décadas, Portugal contou com 6443 respostas de voluntariado missionário realizado nos países em desenvolvimento.
OC